Artigos

6 Dicas Básicas para Criação

No artigo anterior, escrevi sobre a dificuldade de algumas pessoas em compreender os significado do termo LOGOMARCA e do LOGOTIPO. E ainda o que fazer quando a tela branca da folha ou do computador começam a ficar cada vez mais intensa e a famosa IDÉIA não vem. O que fazer? Seguem abaixo algumas dicas básicas de CRIAÇÃO.

01)Pesquise muito. Leia revistas, artigos, jornais. Vasculhe a internet (sites e blogs). Entre em diversos sites de agências nacionais e internacionais. Assine revistas do segmento de DESIGN & Marketing. Seja uma pessoa de perfil INVESTIGATIVA.

02) Procure salvar no menu FAVORITO do seu COMPUTADOR artigos, figuras, fontes, desenhos, clip-arts que achar conveniente. Por mais que você ache que não vá utilizar hoje, pode ter certeza que UM DIA você irá utilizar desta mini biblioteca.

03) Se você ainda não tem perfil em mídias SOCIAIS, está na hora de fazer um! Seja no ORKUT, FACEBOOK, micro blog TWITTER, MY SPACE. O importante é estar CONECTADO com as NOVIDADES do MUNDO! Seja na área da ECONOMIA, VAREJO, BRASIL, MUNDO, ESPORTES – uma pessoa informada possui a capacidade de ter OPINIÃO das coisas!

04) Vasculhe na INTERNET, sites com banco de imagens FREE (livre) – Ex: www.sxc.hu

05) Pesquise ao máximo, quais são os CONCORRENTES DIRETOS e INDIRETOS do seu CLIENTE! Verifique qual é a área de atuação da empresa. Sua história, missão, visão, funcionários. Entre no site dos concorrentes. Procure se possível visitar as lojas do concorrente ou ligar para o 0800 da empresa para buscar mais informações. Veja como a empresa trabalha sua arquitetura visual – cores, símbolos, letras, slogan, links interessantes. Se a empresa concorrente não possuiu internet, comece a perceber que pode existir alguma OPORTUNIDADE neste meio eletrônico. Seja uma pessoa investigativa e procure por elementos gráficos utilizados pelas empresas como folders, flyers, catálogos – até um cartão de visita quer dizer muita coisa de uma empresa.

06) Procure verificar quais são as cores, fontes, símbolos que o segmento permite utilizar nos meios. Vamos ao exemplo: Sabemos que às cores Laranja e Vermelho combina muito bem com Lanchonetes, Padaria e Restaurantes, pois são cores que nos passam a sensação de calor e fome (cores quentes) e juntas podem ser trabalhadas com harmonia. Já no segmento de tecnologia, podemos perceber o uso intensivo das cores cinza, prateado, preto, dourado, amarelo queimado e o azul, trazendo para o cliente a sensação de tecnologia e modernidade. Fique atento ao mercado! Algumas simbologias são adotadas como “padrões” a serem seguidos! Quer um exemplo: Imagine o “M” do Mcdonalds na cor AZUL? Estranho né? Já imaginou? Não parece que o hambúrguer está FRIO!

Com estas informações descritas acima na mão, e principalmente na cabeça é hora de você tomar coragem e começar dar início a sua CRIAÇÃO. Se não estiver preparado, não fique preocupado. É importante começar um trabalho com segurança e bem feito do que um trabalho entregue “meia boca”.

Aguardem. Em breve, novo artigo.

 

 

Artigos

Logomarca x Logotipo – Qual é a diferença?

Escrevo este pequeno POST, pois estou preocupado com os universitários recém formados em design visual ou de produto. Pelo menos a sua maioria acaba saindo da faculdade e entrando no mercado de trabalho sem ao menos saber qual é a diferença entre uma LOGOMARCA e um LOGOTIPO.

Logomarca é o resumo de todos os aspectos históricos, comerciais, econômicos e sociais de uma empresa, representada graficamente através de três elementos:

1 – Tipologia (Letra) – variedades de LETRAS de um mesmo TIPO

Exemplos de Fontes: Antigo ou Clássicas, Moderno, Com Serifa, Sem Serifa, Manuscrito e Descorativos

Para escolher a FONTE a ser utilizada na LOGOMARCA, aqui vão algumas DICAS:

a) Legibilidade – TIPO de fonte

b) Leiturabilidade – Espaçamento ideal entre as letras

c) Pregnância – Destaque

d) Estética

e) Significação

2 – Símbolos (traços / desenhos)

É a reduçao do DETALHE VISUAL. Esta pode ser representada por uma forma abstrata, uma figura geométrica, uma fotografia, uma ilustração, uma letra do alfabeto e etc….

Exemplos de Símbolos – Sinais Pictográficos (A partir de representações de uma imagem ligada a função)

Ou a partir de formas arbitrárias (Na origem, são vazios e complexos. A partir de uma convenção aceita, e através do seu uso repetitivo, impregnam-se da significação que representam) Ex: Símbolo da Reciclagem / Preferêncial

Algumas dicas importantes: Um bom Sìmbolo precisa conter:

a) Qualidade Ótica

b) Fácil Identificação

c) Fácil Percepção

d) Lingagem Rápida

3 – Cores

Processo de diferenciação. Estimulam, acalmam, afirmam, negam, decidem e VENDEM!!! Elas nos despertam SENSAÇÕES, atrai e influênciam o CONSUMO.

São utilizadas em mídia eletrônica, através da SIGLA RGB (Red / Green e Blue). Já na mídia impressa as CORES são representadas pela sigla CMYK e PANTONE.

RGB – Cores ADITIVAS primárias usadas em monitores de Vídeo e TV (Não utulizar para impressão GRÁFICA)

CMYK- Processo SUBTRATIVO das cores determinada por pigmentos ARTIFICIAIS (Vermelho /Amarelo e Azul) As cores vermelho, amarelo e azul em sua porcentagem máxima são o PRETO.

Cian  (AZUL)

Magenta (VERMELHO)

Yellow (AMARELO)

Adicionamos  ao K (PRETO)

Formam o processo de impressão em 4 CORES!  (utilizado em gráficas e impressoras)

Quanto a CLASSIFICAÇÃO das CORES:

a) Cores FRIAS e CORES QUENTES

Cores FRIAS – Tonalidades AZUIS – passagem entre o verde, azul e violeta

Cores QUENTES – Sua tonalidade tende para o AMARELO e para a combinação dos tons alaranjados e avermelhados, indo para o MAGENTA.

Ex: Banco Bradesco, Adidas, Puma, Reebok e Mizuno

Os elementos de uma logomarca EFICIENTE posuem:

a) Equilíbrio – Pesos ideais

b) Síntese – Poucos traços

c) Adequação – Empresa + Serviço + Consumidor

d) Durabilidade – Resistir ao tempo

Logotipo: São representações de palavras de maneira particular, tranformando-a em MARCA.Refere-se à forma particular como o NOME DA MARCA é representada graficamente, pela escolha ou desenho de um tipografia específica.

Exemplos conhecidos de LOGOTIPOS: Oracle, Nasa,Ray-Ban, Panasonic,Virgin e Lux.

Escrevendo este POST até parece fácil definir uma LOGOMARCA e um LOGOTIPO, mas quando passamos estes CONCEITOS para o mundo da CRIAÇÃO, aí é outra história. Muitos ficam perplexos e parados por muito tempo observando aquele fundo de tela BRANCA do computador e a idéia não vem de jeito nenhum. O que fazer?

No próximo POST passo mais informações. Aguardem.

Artigos

Somos reféns dos meios virtuais

Confesso que ás vezes quando chego ao escritório todos os dias pela manhã, sinto que já estou “atrasado” – Não que eu tenha perdido o horário – mas por que as notícias não param 1 minuto, ou melhor, 1 segundo. A vontade é enorme de entrar nos principais portais de notícias como a Globo.com – Portal EXAME – site Terra e outras mais para ver o que foi “perdido” de informação neste meio período entre o sono noturno e o primeiro bom dia da tia do café.

Fico pensando o que seríamos se não tivéssemos mais a INTERNET como meio de informação. Uma bela ferramenta, na qual possui diversos ‘”programas”  para comunicar-se com o público MUNDIAL.  Vamos pensar juntos: O que é o TWITTER? Eu confesso que fico muito pasmo em pensar que posso saber onde estão, e o que estão fazendo os principais intelectuais, pensadores do marketing, autores, artistas, personalidades com um simples “tweet”. Mas vejo também muita gente que não sabe usar a ferramenta da melhor maneira.

A velocidade que as informações estão tomando, fica praticamente inviável não ter pelo menos um perfil cadastrado nas mídias SOCIAS como: Facebook, Twitter, Linkedin, My Space, Orkut e outros. Já existem programas que gerenciam e nos mostram como andas a sua popularidade no TWITTER! Como pode isso? Quais foram às ferramentas e interfaces criadas para tal? Por mais que esta popularidade não agrega em NADA em sua VIDA, não sei por que vem um instinto de fracasso nas nossas mentes. O que posso fazer para melhorar isso?

Por mais que não queremos admitir. Somos reféns dos meios virtuais

Espera aí que eu preciso dar uma “tweetada”!

Artigos

Público-alvo

O que é público-alvo? É um indivíduo ou grupo de pessoas que você quer atingir, através da propaganda e da  publicidade para comprar o seu produto ou oferecer o seu serviço.

Como identificar o meu público?  Você poderá conhecer o seu público-alvo, elaborando uma pesquisa informal com perguntas objetivas e entregando-o para preenchimento dos seus dados, como se fosse um breve cadastro. Está com dúvida? Entre em contato com a Cegadesign.

Qual a importância de identificar o meu público-alvo? Conhecendo o público que compra o seu produto/serviço, você acaba desvendando outros segredos e necessidades, podendo assim, ir ao seu encontro, sem investir uma verba considerável de propaganda. Para mais informações, entre em contato com a Cegadesign

Dica: Não é necessário fazer a pesquisa com todos os seus clientes, basta uma amostra de 10%, que é o suficiente e respondem pela totalidade do grupo.

 

Artigos

O que é Marketing para Cegadesign?

Existe uma infinidade de autores e profissionais expondo suas idéias e conceitos de inúmeras maneiras para definir o Marketing.

Prefiro a definição do autor Raimar Richard – “Marketing é a atividade de entender e atender o cliente”.

Comentando a citação acima, antes de você lançar qualquer produto no mercado é essencial e fundamental realizar estas cinco perguntas:

1- Pra quem eu vou vender o meu produto?

2 – Onde está o meu cliente? Estado? Cidade? Bairro?

3- Como eu vou fazer o meu produto chegar até o meu cliente? Quais serão os meus canais de distribuição? Atacado? Varejo? Loja própria? Representação?

4- Por que eu estou querendo vender este produto e/ou serviço?

5 – Quando? Qual é o período do lançamento do produto?

Falamos até o presente momento em entender o cliente, que é identificar o público-alvo. Você deve estar se perguntando:

 “Como eu faço para identificar o meu público-alvo?”

 Esta resposta e muito +, você confere no meu próximo artigo!